segunda-feira, 11 de julho de 2011

De graça

É fogo refletido por olhos
Brasa insatisfeita, ardor
Mil passos de uma aparição
Pureza invisível, sem cor.


Diferenças ousadas entre nós
Erros sem reparte nenhum
Mergulhos numa saudade sem fim
Tardes tediosas, repletas de sóis


Só mais um café frio
Cheiro do que é mofo
Pensamento que nunca cessa
Fim de mais uma triste pausa


Tens uma banheira de mel
E mais algumas moedas no bolso
O que custa é um tanto ralo
Te rabisco a qualquer custo...

Um comentário:

Nádia C. disse...

"Te rabisco a qualquer custo..." foda.