terça-feira, 2 de agosto de 2011

Passagem

Sentado na plataforma 3 da estação de trem, Ivo observava cuidadosamente as pessoas que chegavam na plataforma oposta, dando atenção para os operários que caminhavam debaixo, mais precisamente nos trilhos, gerando o atraso e a lentidão do trem vermelho que ele tanto desejava naquele momento.
Ele não era o tipo de pessoa que ficava sentado na janela olhando a paisagem, até porque o cenário nunca mudava, mas mesmo de olhos fechados e com o cansaço gerado pelo balanço do trem, Ivo insistia em contar quantos pombos havia sob o presídio toda vez que passava por ali e dava tempo... O trem parecia desfilar em volta daquele lugar podre, rodeado de cacos de vidro e cercas elétricas.


continua... 


(nesse momento tem um senhor lendo o que eu tô escrevendo e enfim, lá se foi o Ivo)

Um comentário:

Nádia C. disse...

mesmo você dizendo que não é um alter-ego, contar pombos parece o tipo de coisa que você faria! haha sei lá... tipo, observar o que ninguém observa :)