segunda-feira, 13 de junho de 2011

Desabafo fora do hábito

Como é perturbador abrir o caderninho e não conseguir escrever nada. Chego a me sentir fracassada por querer desprender algo da caixa pensante e não conseguir me organizar. Acho que a pior revolta de quem tem o hábito de escrever é essa. Abro um livro para ver se alguma coisa inspira e de novo caio na mesmice literária.
Na aula, o professor fala fala e fala muito sobre o Pombal e eu corro para não despencar a cabeça sob os braços de tanto sono que me consome. Abro a bolsa, pego isso aqui, tento cuspir algo e ai você já sabe... não consigo. Bate uma depressão descomunal. Nada me inspira... Nem braços tatuados, nem Napoleão, nem abstinência alheia. 
Decido ficar rabiscando títulos tais como o "Semeador e o Ladrilhador"... um dos meus prediletos. Não sei olhar para o chão e não lembrar disso. Acho criativo... complexo. 


Ah.... o tédio...


Pessoas abrindo balas, vozes me irritando, porta precisando de óleo, frio, chuva, óculos sujo... Que desespero!


Não sei se escrevo ou se resolvo prestar atenção na aula. Quem se importa, não é mesmo? Rabisco rabisco rabisco e não falo nada. Aliás, você que está lendo isso, está perdendo tempo. Saia daqui!! Chego a me curvar o máximo que posso para não lerem. Outra coisa que me irrita é escrever enquanto alguém observa. Não sei fazer nada sob pressão... Nem suco de saquinho, nem dormir. 
Não sei prestar atenção em quem não fala olhando para mim e reclamo sem crédito nenhum porque EU não sei falar olhando nos olhos.... São tão constrangedores e os vendo me sinto uma anoréxica se rebatendo contra o espelho. Somente 5 segundos e nada mais. 
Na verdade acho que não gosto de atenção. Resmungo de barriga cheia! E minha nossa... quanta porcaria!


Desisto. Hoje não sei escrever.

2 comentários:

Nádia C. disse...

Como é perturbador abrir o caderninho e não conseguir escrever nada. Chego a me sentir fracassada por querer desprender algo da caixa pensante e não conseguir me organizar. Acho que a pior revolta de quem tem o hábito de escrever é essa. Abro um livro para ver se alguma coisa inspira e de novo caio na mesmice literária.


ok, você deu pra ler pensamentos agora ^^

Nádia C. disse...

e às vezes o desabafo mais sincero sai melhor do que um poema "pensado"