terça-feira, 20 de setembro de 2011

Senta aqui, realidade

Não é que eu viva reclamando, mas puta que o pariu. Eu devo tá fazendo tudo errado, no mínimo, pra sempre surgir uma decepção. Proponho que sentemos a mesa para discutir a respeito, porque olha só dona realidade, assim não dá. Uma hora eu tô ali sentada tomando um chopp e brindando a você e no dia seguinte, a senhora me esbofeteia! Qual é a sua?
Tô aqui, feliz e saltitante de novo e nem um pouco preparada pra você dar o ar da graça de novo. Tratarei de colocar uma vassoura atrás da porta pra ver se te espanto. Você faz da vida a coisa mais digna do mundo pra depois virar pra mim e dizer: não é bem assim. Não dá, dona. Não dá.
Ai eu fico me perguntando: será que é só comigo? Lógico que não, óbvio. Mas eu tô com a leve impressão que essa sua tática de por na minha cabeça que tudo isso é neura, é brincadeira e que mais tarde chega o sol não tá rolando. 
E não é por falta de empenho não! Todo mundo sabe que ando lhe tratando bem demais, com direito 8h de sono e vários momentos de ar puro. Saio e te vivo como ninguém! Até despachei um certo outrem... Tudo isso para olhar pro céu e dizer que sim, a coisa toda tá bonita! Tá do jeito que me agrada! 
Faço tudo certinho, com alguns desvios que eu creio que sejam normais. Não deve fazer mal a ninguém não amar por alguns dias, quer dizer, amar por amar sabe? Poxa vida, você me apresenta vários rostinhos bonitinhos, me oferece as noites mais gordas do mundo no quesito interesse, papeio por horas achando que agora as coisas vão fluir... Aí você vem e me fode. 
Tô te pagando mal? 

2 comentários:

Nádia C. disse...

"Aí você vem e me fode.
Tô te pagando mal?"

ai eu completo...sua puta[a realidade, claro].

na verdade, ela fode, fode mal e ainda nem deixa uns trocados por café. nós é que somos a puta da história toda D:

Nádia C. disse...

pro*