segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Uma vez que



A tal da vida real é um tanto folgada. Ocupa muito meu tempo e eu sequer consigo escrever mais... Não tenho cabeça pra imaginar. Tá certo, não é exatamente imaginação, mas ando com preguiça de organizar tudo e transformar em um texto.
Na verdade ando amando demais. Não me refiro a um amor específico, mas a um amor qualquer, desses de trem mesmo. Pergunte a Nathalia. Toda semana tenho uma lamentação nova, porque amo por amar e me apego. Pouco me importa o status do relacionamento, o período que vai durar a nostalgia, a distância... Eu amo e ponto. E sofro porque sou retardada.
Se você quiser qualquer tipo de afeto vindo da minha parte, por favor, seja recíproco. Não maltrate tanto. Sim sim, eu arrebento meu coração toda semana e não tô nem ai. Azar de quem tem que aguentar meu sofrimento. É uma grande sujeira!
O que eu quero dizer exatamente é que não aprendi esse negócio de descartar. Porra, se eu beijo alguém, se eu abraço, se eu troco algum carinho é porque eu sinto alguma coisa. Não é pra pegar a merda do sentimento, usar e jogar na privada. Devo ser a única idiota que fica lamentando o passado no dia seguinte. Fico levando as coisas a sério...
Ai o que a gente faz numa situação dessas? Bebe.
Sim. Bebe e é feliz. Fica tonta? Fica. O mundo fica girando? Gira. Mas ai é que aparece um ser humano capaz de te fazer amar por um dia só. É, ama mesmo. Foda-se. Não tem coisa melhor do que sentir isso. O meu único erro é achar que vai durar pra sempre, mas não vem ao caso. Eu diria que no momento eu tô apaixonada. Não sei por quem. Mas sinto de qualquer jeito que amo e meu deus do céu, que tortura.
Se alguém estiver a fim de me amar de volta, eu tô disponível.  Só não venha pedir pra eu dançar “Desparafuso” com você enquanto a banda toca, nem me peça pra ficar depois de uma garrafa de vinho branco, muito menos me peça em casamento via facebook porque eu tô com tanto amor guardado de mim, que é capaz de sair por ai que nem vento.
É isso. Não fala que me ama em vão. Vai tomar no cu você e o seu amor descartável. 

2 comentários:

Nádia C. disse...

adorei.

Nádia C. disse...

Eu realmente queria te ver publicada logo =]